BEGIN TYPING YOUR SEARCH ABOVE AND PRESS RETURN TO SEARCH. PRESS ESC TO CANCEL

APRESENTANDO: Bored Nothing – a importância do tédio

Bored Nothing foto

Eu sou um ferrenho defensor do tédio. Acho que ele é um belo propulsor da arte. Aquela conversa toda de ócio criativo e que as pessoas precisam constantemente estarem fazendo nada para que tenham ideias interessantes. Não que esse tipo de ideia não possa surgir de um outro tipo de abordagem, contudo, as que surgem nesses momentos são simplesmente diferentes. É disso que se aproveita a banda- de-um-cara-só de hoje, o Bored Nothing.

O som é da Austrália, terra bastante prolífica no cenário musical e que já nos agraciou com grupos que vão do clássico AC/DC ao hype Cut Copy. Recentemente tem surgido uma série de bons artistas de lá, apostando em um som com influências gritantes de psicodelia, sendo o mais conhecido o Tame Impala (pra quem gosta, indico também o Pond, banda irmã do Impala). O Bored Nothing tem influências também relacionadas ao estilo, mas desprende-se com facilidade do solo sessentista ao caminhar por outros estilos e desaguar em um resultado que pode ser classificado como Dream Pop.

O disco homônimo, e único até agora, foi composto quando Fergus Miller, mente por trás do projeto, passava por uma temporada quase sem teto em Melbourne e as letras refletem muito da situação: deseperança, tristeza e, surpresa, tédio. Algumas delas são de cortar o coração. O timbre e maneira como canta fazem com que em certos pontos suas músicas lembrem pelo vocal o grande Elliott Smith. As guitarras e distorções usadas envolvem tudo numa atmosfera que, no conjunto, transmite exatamente a sensação de alguém que está perdido e vive por inércia. Vale cada segundo de audição e as minhas preferidas deixo disponíveis aqui mesmo no post. O disco completo pode facilmente ser achado nos inúmeros sites de compartilhamento de arquivos por torrent que existem na rede. Fique entediado, mas não agora.

 

 

4 Comments

  1. Luiz Eduardo

    Conheci a banda numa dessas mixtapes que você fez, João. Puta banda, valeu por apresenta-la 😉

  2. Cara esse blog é muito bom. Não desanime, vc presta um grande serviço a humanidade hehe

  3. essa banda é maravilhosa! conheci faz pouco tempo mas logo fiquei apaixonado pelo timbre de voz e a calmaria que me traz.

  4. Lembra um pouco o Death Cab no início da carreira.

Leave a comment