O lado escuro da fama: 228 entrevistas censuradas com artistas como Strokes, Bowie e Pink Floyd

Neil Strauss é nome bem conhecido no jornalismo americano. Durante mais de 20 anos, entrevistou para veículos como o jornal New York Times e a revista Rolling Stone, artistas e personalidades ligados ao cinema, moda e principalmente música, fez reportagens investigativas e escreveu biografias de Marylin Manson, Mötley Crüe e o best seller mundial “O Jogo”, em que se infiltra em uma sociedade secreta de conquistadores e sai de lá supostamente como um expert no assunto. O título, inclusive, deve virar filme logo.

E foi remexendo nos originais dessas matérias (segundo Strauss mais de 3000) que o autor resolveu reunir em um livro passagens que foram censuradas ou não saíram à época nas publicações com qual contribuiu. Em inglês o compêndio ganhou o nome de Everybody Loves You When You’re Dead (Todo Mundo Te Ama Quando Você Morre, em tradução livre) que acabou de ganhar uma versão em português chamada Fama & Loucura: Entrevistas Censuradas Com Os Maiores Artistas do Planeta, pela Editora Best Seller.

Strauss conta da vez que foi comprar fraldas com Snoop Dogg, que escutou o choro de Lady Gaga no seu ombro e que fez o que chamou de “a pior entrevista de todos os tempos” com um Julian Casablancas (The Strokes) bêbado e pouco a fim de falar sobre qualquer assunto. O encontro com o vocalista da banda nova-iorquina, inclusive, é o que inicia o primeiro ato do livro, que ao todo é dividido em dez deles, como se fosse uma peça de teatro. Ao todo são 228 conversas com Led Zeppelin, Pink Floyd, Bruce Springsteen, Bob Dylan, Radiohead, The Who, Eric Clapton, Britney Spears, Justin Timberlake, Paul McCartney, R.E.M., Madonna, Bob Dylan e uma lista que eu teria que passar o resto do dia aqui digitando para que ficasse completa.

Em um trecho ele conta: “[…] (Julian Casablancas) se senta no meu colo, beija meu pescoço sete vezes e tenta me beijar na boca três vezes, conseguindo uma. Antes que eu consiga me limpar, ele já saiu do bar e está indo para casa em uma cadeira de rodas que encontrou do lado de fora.”

Nas suas matérias, o jornalista tenta captar o lado mais pessoal dos entrevistados e como a fama, sucesso e a grande exposição afeta a vida cotidiana deles. Em entrevista recente a’O Globo, ele disse: “Todo mundo que eu entrevistei, seja Chuck Berry, o inventor do rock’n’roll, ou Gaga, que estava vivendo seu grande momento de fama, se sentia perseguido. Eles acreditavam no que de negativo era publicado sobre eles. Acho que, especialmente na cultura de hoje, deve-se viver com o que se é, não com o que dizem sobre você. Há sempre quem vai querer sua desgraça quando você faz sucesso. É por isso que o livro se chama “Everyone loves you when you’re dead”. Quando você morre, afinal, não oferece mais competição.”

Excelente pedida para quem gosta de cultura pop, mas também de entender melhor a personalidade humana, o autor consegue definir boas entrevistas em uma frase: “Você pode dizer muita coisa sobre uma pessoa em apenas um minuto – se você escolher o minuto certo”.

courtney-love-neil-straus-007
Courtney Love e o autor.

UPDATE: Estamos sorteando dois exemplares do livro AQUI

Parcerias: 15 bandas recebem convidados muito especiais no palco

Damon-Albarn-Noel-Gallagher-Graham-Coxon

No último final de semana, no maravilhoso festival espanhol Primavera Sound, o show do Jesus & Mary Chain contou com uma agradável surpresa: Bilinda Butcher, a voz suave por trás de toda a distorção do My Bloody Valentine, subiu ao palco e cantou junto à banda o clássico Just Like Honey. Não incomum, bandas recebem outros músicos pra subir ao palco e fazer versões muito especiais de algumas músicas. Abaixo, 15 desses encontros:

1. Jesus & Mary Chain recebe Bilinda Butcher (My Bloody Valentine)

Versões: 20 covers de bandas que você ama feitos por bandas que você ama

boa festa

Cada boa banda tem seu estilo próprio. Estilo que elas acabam imprimindo mesmo ao tocar canções de outro grupo. A seguir, 20 covers de bandas pra músicas de outros grupos  clássicos ou no mínimo bastante conhecidos. Aproveite e diga nos comentários os seus preferidos e indique outros que acha que deveriam entrar na lista,