BEGIN TYPING YOUR SEARCH ABOVE AND PRESS RETURN TO SEARCH. PRESS ESC TO CANCEL

Os melhores clipes de 2016

Mais uma vez preparamos um top 10 com o melhor do audio-visual nos últimos 12 meses. 2016 definitivamente ficará marcado por várias tragédias, principalmente para a arte, nossa lista tenta explicar um pouco como foi viver no meio de um ano tão turbulento. Com vocês, os melhores de 2016.

10 – Editors – All the Kings

Direção: Rahi Rezvani

Fotografia espetacular para uma das canções mais tristes e bonitas de 2016. Coisa do Editors.

***

9 – Mykki Blanco – High School Never Ends (feat. Woodkid)

Direção: Matt Lambert

Romeo e Julieta, LGBTs e skinheads. Prepare-se para esse tiro.

***

8 – Rihanna – Needed Me

Direção: Harmony Korine

Ainda na vibe Spring Breakers, Korine traz de volta suas máscaras, peitos, armas, sangue, fumaça e dinheiro. E ainda combina todo isso com Rihanna. O resultado é um dos clipes mais sensacionais do ano.

***

7 – Pup – Sleep in the Heat

Direção: Jeremy Schaulin-Rioux

Finn Wolfhard ganhou o coração de todos quando Stranger Things, série da Netflix, foi lançada esse ano. Aqui, ele estrela como membro de uma banda punk junto ao seu amigo, Pup. Um réquiem singelo sobre amizade, companheirismo e perdas.

***

6 – Kanye West – Fade

Direção: Eli Linnetz

West lançou um dos álbuns do ano, surtou, brigou com Jay-Z e Beyoncé, foi internado e agora é amigo do Trump. Nem West conseguiu lidar com 2016. Por outro lado, Linnetz pegou uma das melhores músicas de Life of Pablo e transcende Teyana Taylor a um patamar que não dá pra explicar.

***

5 – David Bowie – Lazarus

Direção: Johan Renck

Alguns dias após o lançamento desse vídeo David Bowie morreu. Precisa dizer mais alguma coisa?

***

4 – Massive Attack – Voodoo in My Blood (feat. Young Fathers)

Direção: Ringan Ledwidge

No ano em que o diretor polonês Andrzej Zulawski e o ator Angus Scrimm nos deixou, a musa Rosamund Pike juntou-se ao trip-hop do Massive Attack e incorporou Isabelle Adjani nessa combinação de Possessão (1981) e Fantasma (1979).

***

3 – Flying Lotus – FUCKKKYOUUU

Direção: Eddie Alcazar

“Is it the sea you hear in me,
Its dissatisfactions?
Or the voice of nothing, that was your madness?
I let her go. I let her go
Diminished and flat, as after radical surgery.
How your bad dreams possess and endow me.”
Trechos de Elm, texto escrito por Sylvia Plath que ecoam nesse soturno curta do Flying Lotus.

***

2 – Jamie XX – Gosh

Direção: Romain Gavras

Visualmente talvez seja uma das coisas mais bonitas que qualquer um vá ver esse ano. Quem diria que a batida do Jamie seria a combinação perfeita com a atmosfera soviética?

***

1 – Beyoncé – Lemonade

Direção: Mark Romanek, Warsan Shire, Jonas Akerlund, Tood Tourso, Dikayl Rimmasch, Melina Matsoukas, Kahlil Joseph

Esse ano foi O ano de Beyoncé, que elevou seu aclamadíssimo Lemonade a um novo patamar quando lançou na HBO sua versão audiovisual. Traição, mulher, empoderamento, machismo, racismo, opressão, desigualdade, sororidade, nada ficou de fora. Será eternamente lembrada como símbolo da resistência numa época que clama por luta.

***

Gostou da lista? Faltou seu favorito? Deixe sua opinião!

Brasileiro, mora em Bruxelas, biólogo e apaixonado por música e cinema.

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked