The Drums – Uma show surpreendente não só musicalmente

Os nova-iorquinos do The Drums voltaram ao Brasil e fizeram um ótimo show regado a bom som, casa razoavelmente cheia, um bom setlist e algumas surpresas onde muitos poderiam dizer que a terceira vez é a da sorte. O duo indie que bota a galera para fritar nas pistas de danças de baladas da Augusta faz seu terceiro show na cidade de São Paulo para a turnê do (ótimo) terceiro álbum Encyclopedia.

Biffy Clyro – Um grande show exclusivo para os fãs

Biffy Clyro lá fora é uma banda razoavelmente grande, com uma boa fan base própria e que desde 1995 transitaram entre estilos, mas sem fugir muito de sua proposta fizeram seu caminho pelos maiores festivais europeus. Mesmo tendo uma longa carreira chegando ai nos seus 20 anos de estrada a banda realmente chegou aonde chegou em 2007 com Puzzle e em 2013 com Opposites se solidificou com uma das melhores bandas da atualidade.

Russian Red em SP – Sem crises políticas, só boas canções

A cantora espanhola que canta inglês Lourdes Hernández, conhecida pela alcunha Russian Red  ficou famosa mundialmente mais por ser o caso extraconjugal do jogador que pede música indie no fantástico (e no twitter) Xabi Alonso do que por sua música, por mais que a música seja muito, muito boa. Em sua primeira vinda ao Brasil, não faz feio e leva sorriso ao rosto do público em uma quinta feira agradável.

Franz Ferdinand bota fogo em São Paulo (mais uma vez)

Essa é a sétima passagem da banda que leva o nome do Arquiduque Austro-húngaro assassinado em 1914, o grupo de Glasgow que desde 2004 (quando lançaram seu primeiro álbum) trás o seu som dançante, com aquele jeitinho de música do jogo FIFA, clipes bem humorados e shows empolgantes se tornou um dos expoentes do indie rock e já declarou paixão por tocar no Brasil, afinal a banda esteve nas terra brasileiras por três anos consecutivos.

franz

Queens of The Stone Age…. Momentos

Josh Homme é um cara bem legal não é mesmo? Amigo da galera, deve bater um churrasco com sambinha e Bohemia e além de todos os side projects bons também é responsável por uma das maiores bandas da atualidade. Com sua trupe de músicos variados,  o garanhão das mulheres (e dos homens pelo jeito) veio ao Brasil depois do gostinho de quero mais que deixou no Lolla 2013.

Queens fo the Stone Age

Batendo palmas com o Clap Your Hands Say Yeah

A Campari um dia sentou e falou: “vamos fazer uma festa?” “Vamos” e decidiu por que decidiu fazer uma festa homenageando um drink: o Negroni, que pra mim era uma pessoa, um empresário da marca, um Eike Batista (em seu auge), mas ok. A festa fechada super badalada e cheia de hype trouxe os americanos do Clap Your Hands Say Yeah, que lançaram o ótimo Only Run esse ano e fizeram um dos shows mais divertidos e fiéis ao seu trabalho de estúdio do ano.

clapyourhandsdisco