As cores primárias do The Horrors

Junto com o Franz Ferdinand e We Have Band, o The Horrors é um dos destaques do 16º Cultura Inglesa Festival. Mas você conhece os ingleses de Southend? Chegou a oportunidade!

Da garagem para o mundo

No começo dos anos 2000 Rhys Webb conheceu Faris Badwan e Tom Cowan em uma de suas várias viagens para Londres, e percebeu que tinham gostos musicais muito parecidos com o dele (Rock de Garagem dos anos 60-70 e Post-Punk). Em 2005 os três decidem formar uma banda com Joshua Third e Joseph Spurgeon, aonde as principais influências seriam Birthday Party e Bauhaus.

A banda já lançou três álbuns de estúdio, o Strange House (2007), Primary Colours (2009) e mais recentemente o Skying (2011), álbum que fez com que o The Horrors alcançasse o 5º lugar das paradas inglesas. Para esse trabalho mais recente a banda buscou como elementos essenciais Sonic Youth, My Bloody Valentine dentre outras bandas dos anos 80.

O The Horrors tocará de graça dia 27 de maio no Parque da Independência em São Paulo e é uma das principais atrações do Cultura Inglesa Festival. Confira a programação completa.

Site Oficial – Facebook – Last.fm

Três motivos para ir ao Cultura Inglesa Festival

Admito que ano passado eu fiquei chocada quando anunciaram que haveria um festival gratuito em São Paulo – logo aqui, aonde qualquer show internacional custa mais de $100 sem contar as taxas de (in)conveniência. Fiquei mais chocada ainda quando anunciaram o line-up – Blood Red Shoes, Miles Kane e Gang of Four – tão digno que podia ser de qualquer festival grande do Brasil.  Aí descobri que se tratava de uma iniciativa da Cultura Inglesa, com o intuito de divulgar a cultura do Reino Unido no Brasil. Fui ao festival, que aconteceu no mês de maio e não posso poupar elogios: o festival foi sensacional.

Blood Red Shoes tocando no Cultura Inglesa Festival de 2011Nesse ano o Festival Cultura Inglesa – Música no Parque acontece no dia 27 de maio, domingo, no Parque da Independência (São Paulo).

1. Line Up
As bandas escolhidas para o ano passado já me deixaram de queixo caído, mas esse ano a curadoria do festival (formada por gente que entende de música boa, como Lúcio Ribeiro e Alexandre Matias) conseguiu superar as expectativas do público. Como ano passado, duas bandas brasileiras abrirão o festival – mas tocando apenas covers de bandas inglesas. As escolhidas foram a Banda Uó, tocando The Smiths, e o Garotas Suecas, tocando Rolling Stones. Depois o festival ainda conta com shows do We Have Band, The Horrors e Franz Ferdinand.

2. Localização
O Parque da Independência fica exatamente na frente do Museu do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo. Não é lá muuuito perto de nenhuma estação do metrô – fica a aproximadamente 12 quadras das estações Sacomã e Alto do Ipiranga, ambas da linha verde. Dá pra ir andando, mas para os preguiçosos há linhas de ônibus que saem das duas estações e param na porta do parque.
Além do fácil acesso, o parque tem uma série de prós – o espaço aonde fica a “pista” é inclinado, garantindo visibilidade boa de praticamente qualquer lugar. Até eu, que sou baixinha, consegui enxergar tudo sem ter maiores problemas. Em volta da pista existem áreas mais elevadas com grama e árvores – de dia dá pra relaxar, sentar e tomar um solzinho, e pra quem não quer entrar no meio da confusão de noite dá pra ver os shows de um lugar mais tranquilo.

3. Organização
Eu tenho um certo “receio” quando penso em festivais gratuitos – sempre penso na bagunça da virada cultural – mas a organização do Cultura Inglesa conseguiu lidar muito bem com todo o público que esteve presente no ano passado. A área do parque dedicada ao festival fica cercada e para entrar nela é necessário passar por uma revista para garantir a segurança dentro do evento. É permitido entrar com comidinhas e bebidas e uma das ideias mais geniais do festival (se dependesse de mim seria implantada em todos os festivais do brasil) é o caminhão pipa que fica estacionado na pista e distribui água em copinhos gratuitamente pra ninguém passar sede.

Bônus. Tá pensando que o festival acontece só no dia 27? Não senhor.
Além dos shows que rolam no dia 27, o festival ainda vai contar com uma série de atrações diversas em São Paulo, Campinas, Santos, São José dos Campos e Sorocaba. As bandas We Have Band e Horrors se apresentam também nessas cidades do interior – mas não é só isso, também acontecerão mostras de artes visuais, cinema e discotecagens de DJs britânicos.

E como drops, fica um vídeo feito no festival do ano passado 😉

A programação completa do festival você vê aqui.