#TeamKimye: Taylor, assim não dá pra te defender

#TeamKimye: Taylor, assim não dá pra te defender

8607Shares

Tem pouco tempo que eu escrevi aqui a minha trajetória de ódio-a-amor pela Taylor Swift. E depois de viciada, confesso que é difícil largar, cold turkey. Ela é linda, magra como eu queria ser, rica, famosa, tem amigas incríveis, gatas lindas, tem o mundo como playground. E tem as músicas, né. Que eu adoro.

Quando a treta entre o Kanye West e a Taylor Swift começou por causa da música Famous (que é impossível parar de ouvir também), as coisas começaram a ficar um pouquinho mais complicadas. Primeiro porque não dá pra gente comparar uma menina rica, filhinha de banqueiros, branca, que sempre teve tudo na vida, com um cara negro que veio da quebrada e é odiado por ousar dizer que é um gênio. Imagina, um negro falando que é Deus.

A prova oficial, pelo menos pra mim, foram os astros. A própria Susan Miller já explicou que a Taylor Swift nasceu com a bunda virada pra lua, o que em linguagem astrológica significa que todo mundo tem tendência a ficar do lado dela. Essa composição é o contrário do mapa da Kim Kardashian, que vai ter que se contentar em ser odiada. Mas o mais interessante é quantidade de planetas em Capricórnio no mapa de Taylor. Isso, Capricórnio, o signo mais cuzão de todos, mais sovina, mais metido, mais insuportável. Enquanto o Kanye, coitado, tem aquela Lua em Peixes que faz dele basicamente um moleque meio chorão, meio perturbado, meio desligado, e com um mundo próprio na cabeça.

Eu tinha certeza que, não interessa como a ligação tivesse acontecido, o Kanye tinha acreditado que ela tinha aprovado.

Mas aí a Taylor disse que não tinha nenhuma ligação. As coisas foram ficando estranhas. Aí ela disse que tinha, sim, uma ligação, mas que ele nunca tinha mencionado a parte da música em que fala que deixou ela famosa. Aí ela disse que na verdade o problema era “that bitch”. (Pra alguém do mundo da música e que diz amar muito hip hop, com vídeos cantando Future e Drake pra Apple Music, ela tá bem por fora da história do rap, né?)

E daí Kim Kardashian, maravilhosa, ativista do #BLACKLIVESMATTER, grande mente dos negócios, que não bebe, não usa drogas, e eu amo (o mais importante, lógico), vazou os vídeos da ligação entre Kanye e Taylor. Taylor não sabia dessa gravação, mas é que o Kanye, no meio da própria loucura, grava todo o processo de gravação dos álbuns que compõe pro caso de um futuro documentário. (Eu sei, eu sei. Isso é culpa do sol em Gêmeos mesmo.)

No vídeo, não só ele canta o trecho inteiro pra ela, como ela agradece, surpresa, feliz, maravilhada, pela gentileza dele. Ela fala como admira que ele tenha dito isso. Diz que ele pode usar o verso que quiser. Comenta que a parte da fama é muito mais provocativa que a parte do sexo, num bom sentido. Brinca que no Grammy todo mundo ia ficar “uau, ela deve estar chorando” e ela ia chegar e arrasar com todo mundo falando que sabia de tudo. E o Kanye? Ele é um doce. Fala que nunca gostaria machucar ela. Fala que não faz rap pra machucar as pessoas, que isso não faria sentido. Fala que relacionamentos com pessoas é mais importante que publicidade…

Daí vem a Taylor e posta uma nota no Instagram. Que, pelo que dá pra ver, ela deu uma busca nas notas do iPhone até encontrar a declaração. Há quanto tempo já tava ali, pronta, pra caso ela fosse desmascarada? Mesmo com a mensagem vazia e birrenta, não dá pra não deixar de pensar que ela podia ter cortado isso na hora de postar. Não ia ficar tão feio.

Captura de Tela 2016-07-18 às 02.11.42

Captura de Tela 2016-07-18 às 02.11.22

Fico triste, lógico, queria poder continuar gostando da Taylor Swift com a consciência limpa. Mas fico feliz de ver que um cara negro, alvo de ódio racista, desacreditado com frequência, conseguiu mostrar que no fim ele tava falando a verdade.

Ufa!

EDIT: mil detalhes no BuzzFeed.

8607Shares

Related Stories