BEGIN TYPING YOUR SEARCH ABOVE AND PRESS RETURN TO SEARCH. PRESS ESC TO CANCEL

Como foi o Oscar 2014 e suas principais categorias

Imagem 1

Como vocês podem perceber – especialmente pelo rosto de Julia Roberts -, people had a great time at the Oscars this year. Aparentemente para se conduzir uma boa cerimônia não basta encontrar um bom host(ess) – como tivemos neste ano, com Ellen Degeneres -, mas a presença de bons filmes também é necessária (e esteve escassa nas últimas edições, especialmente 2012 e 2013).

A noite de Gravity (sete estatuetas) foi roubada no momento decisivo por “12 Years a Slave”, que acabou levando por Melhor Filme, o que foi um susto embora não haja sido propriamente uma surpresa.

Imagem 2

Em Gravity, Cuarón alcançou uma ótima experiência de Cinema, que não poderá ser recuperada pelos que estão atrasados, exceto aqueles que possuam uma sala particular para reprodução. Visto em sua sala de televisão, “Gravity” provavelmente será o grande whattafuck deste Oscar. Não à toa, visto que Cuarón simplesmente esqueceu-se da parte chamada “roteiro”, Gravity é um filme tecnicamente admirável, uma experiência diferenciada para o espectador, mas nem de longe um bom filme. Por isto, vencedor de prêmios majoritariamente técnicos, ou de arte estética (Cinematography, Directing, Film editing, Music – Original Score, Sound Mixing, Visual Effects), “Gravity” não levou, felizmente, Best Picture.

Imagem 3

Se a Academia foi feliz em não dar “Best Picture” a “Gravity”, isto não significa que tenha sido feliz em dá-lo a “12 Years a Slave”. Percebam, antes que se exaltem: escolhi uma foto com Benedict Cumberbatch. C’mon, you know you like me right now. O inesperado do Oscar não foi, porém, uma surpresa: “12 Years a Slave” é um filme pensado em Oscar, começando no roteiro, passando pela montagem e parando por um bom tempo no casting. Enquanto em “Django Unchained” Tarantino dá tapas na cara do público adulto norte-americano, “12 Years a Slave” conta a escravidão para um adolescente velho demais pra ouvir os eufemismos de sempre e novo demais para se assustar em demasia. É um filme para as pessoas tomarem café e discutirem sobre os absurdos da história norte-americana sem sujarem demais os próprios olhos. Enfim, um filme que se passa no período de escravidão e não estragará sua noite. Lupita Nyong’o, porém, que nada tem a ver com a produção, direção e roteiro do filme, pode ficar feliz por brindar sua bela atuação com seu Oscar (Actress in a supporting Role).

Falando em atuação, muitos atores e atrizes têm razão o bastante para acordarem tristes hoje. No caso dos meninos, porque a categoria este ano estava difícil e seria impossível que ganhassem todos os que mereciam o prêmio. No caso das meninas, porque estava fácil de decidir e, se a coisa tá fácil, é porque não está boa.

Imagem 4

Sequer as polêmicas ao redor de Woody Allen e sua filha Dylan Farrow foram bastantes para tirar de Cate Blanchett este Oscar de Best Actress in a leading role. Atrás dela, o fantasma de Amy Adams (American Hustle). Cate Blanchett conseguiu, em um dos filmes mais “sem sal” de Woody Allen dos últimos anos (“Blue Jasmine”), preencher o difícil papel de Jasmine. Como Best Supporting Actress, Lupita Nyong’o era favorita absoluta e levou com justiça.

Imagem 5 Imagem 6

Actor had some tough calls this year, ma friends. Enquanto todos os protagonistas foram bem, inclusive Di Caprio com sua melhor atuação desde o início de sua parceria com Scorsese, McCounaughey acabou por levar, com todos os méritos, Best Actor in a Leading Role. Boa parte das grandes qualidades de “Dallas Buyers Club” deve-se às atuações, e a Academia reconheceu isso ao conceder também a Jared Leto o prêmio de Best Actor in a supporting role. Embora tenha concorrido com figuras como Bradley Cooper – que ninguém nunca saberá explicar por que foi indicado ao prêmio -, concorreu também com atores como Jonah Hill, que teve ótima atuação em “The Wolf of Wall Street”. Aparentemente o elenco de “Dallas Buyers Club” desbancou por completo os caras de Marty.

Imagem 7

Let’s take a momento pra falar sobre “The Wolf of Wall Street”, embora já tenha falado o bastante sobre ele aqui. O filme recebeu cinco Indicações (Best Picture; Actor in a leading role; Actor in a supporting role; Directing; Writing, adapted screenplay) e acabou levando: zero. Muitas das estatuetas, assustadoramente justas. Cuarón realmente arrebentou em “Gravity”, bem como McCounaughey e Jared Leto em “Dallas Buyers Club”. Embora não tenha sido também meu filme favorito do Oscar 2014 (Fico com “Her”, do Spike Jonze), creio que “The Wolf of Wall Street” merecesse “Best Picture”. No conjunto, é o filme mais completo deste Oscar. Uma pena que saia de mãos abanando.

Imagem 8

Falando em filme favorito do Oscar, a suposta resposta de Spike Jonze a Sofia Coppola (“Lost in Translation”) rendeu a Spike Jonze não só o Oscar de Best Writing (Original Screenplay), como também a maior injustiça do Oscar 2014. Music (Original Score) não só deveria ir para “Her” (William Butler & Owen Pallett), como não deveria ir pra Gravity ainda que “Her” nunca houvesse sido feito. A bem da verdade, o vencedor da categoria não é sequer o segundo melhor dos indicados. O próprio experiente John Williams em “The Book Thief” teria sido o bastante para bater “Gravity”. Uma lástima.

Falando em música, a vitória de “Let it Go” (“Frozen”) – executada por Idina Menzel e de autoria de Kristen Anderson-Lopez & Robert Lopez – deixou todo mundo feliz por não ter de ouvir Bono Vox discursar. Não, não, não.. Obrigado a vocês, guys, de verdade.

Imagem 9
Por fim, “La Grande Bellezza” (Italy) levou Best Foreign Language Film, sobre o qual já escrevi Aqui.

 

 

Enfim, assim ficou o Oscar 2014:

Gravity
Directing (Alfonso Cuarón)
Cinematography (Emmanuel Lubezki)
Film Editing (Mark Sanger & Alfonso Cuarón)
Music – Original Score (Steven Price)
Sound Editing (Glenn Freemantle)
Sound Mixing (Skip Lievsay, Niv Adiri, Christopher Benstead, Chris Munro)
Visual Effects (Tim Webber, Chris Lawrence, David Shirk, Neil Corbould)

12 Years a Slave
Best Picture
Best Actress in a supporting role (Lupita Nyong’o)
Adapted Screenplay (John Ridley)

Dallas Buyers Club
Best Actor in a leading role (Matthew McConaughey)
Best Actor in a supporting role (Jared Leto)
Makeup and Hairstyling (Adruitha Lee, Robin Mathews)

The Great Gatsby
Costume Design (Catherine Martin)
Production Design (Catherine Martin, Beverley Dunn)

Frozen
Animated Feature Filme (Chris Buck, Jennifer Lee & Peter Del Vecho)
Music – Original Song (“Let it Go” – Kristen Anderson-Lopez & Robert Lopez)

Her
Original Screenplay (Spike Jonze)

Blue Jasmine
Best Actress in a leading role (Cate Blanchett)

La Grande Bellezza
Foreign Language Filme (Italy)

20 Feet from Stardom
Documentary Feature (Morgan Neville, Gil Friesen, Caitrin Rogers)

The Lady in Number 6: Music save my life
Documentary Short Subject (Malcolm Clarke, Nicholas Reed)

Mr. Hublot
Short Film animated (Laurent Witz, Alexandre Espirares)

Helium
Short Film – Live Action (Anders Walter, Kim Magnusson)

 

 

A lista completa de indicados e vencedores, você encontra aqui.

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked